Cérebros de indivíduos de certas profissões apresentam maior número de sinapses

Fonte: Agências Internacionais, 01/12/1999

A educação não apenas torna a pessoa mais preparada, mas também pode gerar tipos específicos de sinapses (conexões entre neurônios) no córtex prefrontal do cérebro, segundo resultados de estudo realizado por pesquisadores da University of Illinois e pesquisadores russos.

Existe maior número de sinapses em indivíduos com profissões mais intelectualizadas, como engenharia ou ensino, de acordo com James E.Black. Entretanto, esta pesquisa não permite determinar se a experiência profissional extra realmente provoca novas sinapses ou se pessoas com maior número de sinapses tendem a escolher profissões mais desafiadoras.

Os resultados preliminares foram apresentados no 29˚ encontro anual da Sociedade para Neurociência, realizado em outubro de 1999, em Miami (EUA). Indivíduos com maior treinamento profissional tinham 17% mais sinapses para cada neurônio do que aqueles menos preparados. Acredita-se que a formação de sinapses seja uma maneira de armazenamento da informação obtida através da experiência. Segundo Dr. Black, “como os humanos recebem uma grande quantidade de informações durante o seu desenvolvimento, há uma boa razão para acreditar que elas sejam armazenadas sob a forma de novas conexões sinápticas entre neurônios”.

Um estudo realizado por Arnold Scheibel, da UCLA, demonstrou uma correlação entre educação e ramificação de neurônios em outra região do cérebro, corroborando a informação acima.

Este estudo é parte de um projeto maior que examina variações cerebrais que podem estar relacionadas a esquizofrenia, a qual afeta as sinapses no córtex prefrontal. Enquanto a esquizofrenia pode interferir grandemente na qualidade de vida de uma pessoa, novas medicações oferecem boa possibilidade de recuperação.

[NEUROBUSINESS] Cérebros de indivíduos de certas profissões apresentam maior número de sinapses
Classificado como: