Posts

Feedback

CONTEXTO
Termo utilizado o tempo todo pelas pessoas e, infelizmente, muito pouco compreendido em sua profundidade e extensão, Feedback implica em mecanismos muito mais complexos do que pensamos, porém, uma vez conhecidos e treinados, fáceis de utilizar.
Considerando-se que estamos vivenciando tempos de grande dificuldade em reter talentos nas organizações, o Feedback se tornou uma das ferramentas (técnicas) utilizadas como um de nossos melhores aliados na gestão destes talentos.
O principal propósito deste seminário é ajudar os líderes a informarem uma pessoa sobre o seu desempenho, orientando e estimulando ações de melhoria contínua.
PROGRAMA PRELIMINAR
O que é e como se pratica Feedback
Porque e para quê desenvolver esta competência
Exercícios práticos de Feedback
Os elementos neurofisiológicos do Feedback e como utilizá-los à favor da melhor orientação
Como aplicar técnicas de comunicação para um Feedback assertivo
Os 3 mecanismos de processamento que o cérebro utiliza e como se aplicam para tornar o líder apto a oferecer e receber feedback de maneira objetiva, clara e livre de distorções, preservando o relacionamento.

O Líder Coach

CONTEXTO
Houve um tempo em que bastava um cargo e função de liderança para que essa condição fosse aceita pelos liderados sem questionamento.
Hoje, há todo um conjunto de elementos que validam ou não a condição do líder como um legítimo líder. Ele ser capaz de “coachear” um time de alta performance é a mais importante de todas e é, exatamente, o foco deste seminário.
PROGRAMA PRELIMINAR
Atividades práticas e de aplicabilidade imediata para instrumentalizar o participante a se tornar um líder coach
Os modelos mais efetivos e avançados no uso do coaching como estilo de liderança
Ferramentas conversacionais para o líder coach
A importância de e como criar sucessores e colaboradores-líderes
Definição do papel do líder coach
Análise de hábitos que ajudam ou interferem na liderança
Recursos para o gestor lidar com o distresse (estresse negativo) próprio e de sua equipe
Como transformar um grupo de pessoas em um time de alta performance que se co-responsabiliza pelos resultados
Mitos e realidades sobre motivação de pessoas.

Inteligência Emocional

CONTEXTO
Best seller mundial, o livro “Emotional Inteligence” do Ph.D. em Psicologia e jornalista do The New York Times, Daniel Goleman, está revolucionando tudo que se acreditava saber sobre o que é ser inteligente, ter sucesso, maturidade e equilíbrio emocional.As organizações do 3º milênio já estão reorganizando suas abordagens em Gestão Integrada conforme as mais modernas descobertas e constatações científicas da área de humanas, notadamente as comportamentais e neurológicas.Essas mudanças, na verdade, já vinham começando a ocorrer timidamente. Agora dispararam e vêm sendo cobradas dos líderes na forma de revisão de posturas, atitudes, parâmetros de avaliação e, principalmente ferramentas utilizadas para alcançar resultados efetivos.
PROGRAMA PRELIMINAR
A natureza da Inteligência Emocional ( QE )
A nova abordagem da cooperação como estratégia de desenvolvimento do QE

Quais são e para que servem as emoções consideradas autênticas;
Os 5 principais aspectos que determinam o QE e as técnicas e métodos para desenvolvê-los;
Como reconhecer e administrar emoções em si mesmo e nos outros;
Qual a diferença entre emoções e sentimentos e como isso influi nos resultados da empresa.
Razão & Emoção na gestão de talentos
Características dos líderes emocionalmente inteligentes e eficazes e como desenvolvê-las em si mesmo

Liderança Situacional

CONTEXTO
“O conceito de liderança situacional é bem simples. Esse tipo de liderança é voltado para situações diferentes, ou seja, ela se adequa a diferentes tarefas propostas e o estilo tem que se ajustar à situação.
O principal problema que essa teoria busca resolver é descobrir qual estilo se ajusta a qual situação; para isso é preciso saber como avaliar a situação.
Com os anos, foram desenvolvidos vários modelos voltados para a liderança situacional: Como o modelo de Tannenbaum & Schimidt, que propõem três critérios para avaliar a situação:
1) A forma como o líder se comporta é influenciada pela sua formação;
2) Ele valoriza a iniciativa e a liberdade;
3) Ele prioriza os comportamentos democráticos;
O modelo de Fiedler, pode avaliar três tipos de características:
1) As relações entre líder e seguidores,
2) O grau de estruturação da tarefa,
3) O poder da posiçãoO modelo de Hersey e Blanchard, é sem dúvida um dos mais conhecidos modelos em termos de liderança situacional. É baseado em duas variáveis:
1) O comportamento do líder: Como ele orienta os liderados para desenvolverem suas tarefas e como é o seu relacionamento com seus seguidores) e
2) A maturidades dos seus subordinados.
O conceito – chave desse modelo é o nível de maturidade dos subordinados.
A maturidade consiste:
– na capacidade de estabelecer objetivos (metas),
– aceitar as responsabilidades
– a aptidão para desempenhar a tarefa solicitada (esse critério é avaliado pelo líder, se o subordinado tem experiência e formação para desempenhar essa tarefa, logo ele esta apto a mesma).
Esta idéia se divide em quatro estilos ou formas de liderança, juntamente com os quatro níveis de maturidade.
Um ponto forte dessa teoria é o reconhecimento da competência e da motivação como elementos–chave do processo de liderança.
Bem aplicado, é, de longe, o melhor modelo de Liderança Situacional.
OBJETIVOS
Elaborar e conduzir um Seminário focalizando o tema “Liderança Situacional“. de forma a possibilitar a adequação do estilo de liderança à equipe ou indivíduo, extraindo destes seus melhores resultados para o negócio e para si mesmos, num processo de Ganha-Ganha.
PROGRAMA PRELIMINAR
O modelo Hersey & Blanchard de Liderança Situacional
O que é, como funciona e como praticar Liderança Situacional
Como diagnosticar graus de maturidade na equipe para definir o quadrante em que se encontra cada membro dela
Quais os elementos mais delicados e desafiadores do modelo e como aplicá-los

Liderança & Gestão

CONTEXTO
Posição classicamente invejada e criticada ao mesmo tempo, a liderança (gerência ou qualquer outro cargo de gestão) pode ser uma benção e um troféu para a carreira de um profissional ou a pior coisa que já lhe tenha acontecido. Não são nem as pessoas da equipe, nem os pares e nem os superiores que tornam um sucesso ou um fracasso a carreira do líder. São suas próprias atitudes e pensamentos. Este programa revê atitudes, comportamentos e pensamentos típicos das carreiras que naufragaram e propõe novos comportamentos explicando porque e para que com base nas teorias da Inteligência Emocional, da Neurociência (estudo do cérebro e as conseqüências no comportamento humano) e da moderna Administração.

PROGRAMA PRELIMINAR
A Moderna visão do líder de sucesso e das implicações deste papel;
Como liderar a partir dos conceitos da ciência que estuda nosso cérebro
Cérebro triúnico e gestão da mudança (Change Management)
Quociente de Inteligência (QI) x Quociente Emocional (QE Inteligência Emocional) x Produtividade/Comprometimento
Mind set x Proatividade, Confiança e Otimismo frente às situações de desafio
Qual é a competência exclusiva do líder, porque ele está absolutamente sozinho quando precisa utilizá-la e o que fazer nestes casos
Vitimização x Protagonização: Algumas considerações fundamentais
Princípios de Neuroliderança e Neurobusiness;