Posts

Preparando o ser humano para mudança

Preparando o ser humano para mudança

 

CONTEXTO 

Não se faz mudanças nas Organizações sem a aquiescência das pessoas que nela atuam. O problemas é que, mesmo quando conscientemente concordam com as mudanças, as pessoas podem estar inocentemente resistindo a elas por medo do desconhecido: uma situação bastante normal e comum.

Nossa proposta é mostrar que a mudança pode ser alegre, divertida, interessante, estimulante e útil tanto para a Organização quanto para o participante. E que estar preparado para ela pode ser um fator de satisfação até mais do que de necessidade.


OBJETIVOS

Abordar os aspectos relativos a todo e qualquer processo de mudança a partir de comportamentos proativos, despertando o interesse dos participantes em mudar individual, grupal e organizacionalmente;

Integrar os participantes através de Jogos cooperativos que promovam o comprometimento destes com os resultados, trabalhando simultaneamente na melhoria do clima organizacional.

Oferecer informações úteis para automotivação e motivação para a qualidade, através de atividades que prendem a atenção do participante e promovem mudanças positivas em seu comportamento;

Desenvolver o senso de equipe como força extra de atingimento de metas com melhores resultados tanto para a organização quanto para o funcionário;
PROGRAMA

Níveis Neurológicos: Princípios da mudança de comportamento;

Teamwork: Formação de times cooperativos;

Dicas de Modernas técnicas de comunicação e relacionamento interpessoal;

Princípios da Teoria da Motivação;

Inteligência Emocional: o que é, para que serve e como desenvolvê-la;

Ampliação das percepções e recuperação do reflexo.

Qualidade de vida e gerenciamento do estresse

CONTEXTO 

Estresse, falta de integração e de motivação. Estes têm sido os maiores responsáveis pelos problemas que resultam na queda de produtividade, qualidade e, consequentemente, lucratividade nas organizações dos mais variados segmentos de mercado.

É verdade que a recessão no mercado de trabalho tem favorecido a permanência das pessoas mesmo quando insatisfeitas com a política adotada, pois têm medo de não conseguirem outra colocação caso peçam demissão; e algumas empresas acreditam que isto é suficiente para garantir resultados. Entretanto, hoje é incontestavelmente sabido que o medo de ficar desempregado não garante produtividade, muito menos qualidade.

A ciência conhecida como Neurobiologia (estudo do cérebro), aliada à diversas outras áreas do desenvolvimento humano, já dispõe de metodologias e técnicas capazes de reduzir e até eliminar estes fatores negativos através da administração do estresse e de modernas técnicas de integração que, além disso, favorecem o treinamento da percepção e do reflexo (capacidade de oferecer respostas mais ágeis e assertivas no dia a dia), levando a uma Qualidade de vida e de trabalho significativamente maiores.


OBJETIVOS

Reduzir e administrar o estresse resultante das mudanças inevitáveis, da tensão e da carga de trabalho, bem como o gerado pelas características típicas do nosso tempo e da organização tensionante do trabalho, patrocinando um melhor modo de ser e estar na empresa e na vida;

Ensinar técnicas antiestresse que possam ser utilizadas tanto no trabalho quanto em casa de forma divertida e eficaz.

Estimular a integração entre as pessoas;

Desenvolver a percepção e o reflexo, isto é, a capacidade de responder mais rapidamente aos estímulos e de forma mais assertiva;

PROGRAMA

Exercícios para redução e controle do estresse;

Jogos cooperativos, teatrais e lúdicos;

Exercícios com base na teoria da Inteligência Emocional para estimulação do QE – Quociente Emocional;

Exercícios para automotivação

Exercícios extraídos do método de Ampliação das percepções e recuperação do reflexo.

Desenvolvendo sua Criatividade

Desenvolvendo sua Criatividade

CONTEXTO

Com o know-how adequado, todo e qualquer profissional pode se tornar mais criativo e potencializar sua capacidade de solucionar problemas e realizar metas, utilizando ferramentas adequadas, modernas e, principalmente, afinadas com os novos conceitos da Psicologia do Comportamento e da Aprendizagem.

É mais divertido e fácil do que se pensa desenvolver criatividade e flexibilidade. Além disso, é uma vantagem competitiva no mercado global.

E ainda se pode contar com os benefícios paralelos deste trabalho que são: o desenvolvimento pessoal dos participantes, o gerenciamento do estresse gerado pela organização caótica da vida diária, o desenvolvimento da Inteligência Emocional (às vezes até de algumas das múltiplas inteligências) e a estimulação da percepção e do reflexo (agilidade física e mental).
OBJETIVOS

Levar os participantes a vivenciarem o uso e a aplicação da criatividade de modo consciente, preparando a mente inconsciente para que libere informações, talentos, conhecimentos e tudo quanto possa ser disponibilizado no processo de autopercepção;

Oferecer tecnologia de ponta no que concerne aos princípios de exercício da criatividade;

Reduzir e ensinar a gerenciar o estresse e a tensão na busca de sinergia interior para a recuperação natural das capacidades criativas;

Desenvolver a percepção e a capacidade de responder prontamente às situações do dia a dia, através de técnicas, métodos e sistemas que podem, inclusive, ser utilizados posteriormente como ferramenta permanente de atuação para profissionais que atuam com grupos;

Levar informações, conceitos e idéias de algumas das maiores autoridades em

Ciências Cognitivas: Pedagogia, Andragogia, Psicologia e Neurobiologia (estudo do cérebro).
PROGRAMA

Jogos cooperativos, teatrais, sensoriais e lúdicos no rompimento de padrões limitantes e bloqueios mentais e/ou emocionais;

Gerenciamento do Estresse criativo;

Criatividade na comunicação, pensamento e comportamento proativos;

Ampliação da visão de mundo através do exercícios de novas formas de ver as coisas que nos cercam;

A Arte como caminho para a energia criativa;

Estratégias de flexibilidade e criatividade;

Instrumentos de realização do processo criativo;

Aprendendo com hemisfério direito do cérebro;

Ampliação das percepções e recuperação do reflexo.

Desenvolvimento Comportamental para a Qualidade de Vida

Desenvolvimento Comportamental para a Qualidade de Vida

CONTEXTO 

A qualidade do trabalho está diretamente ligada à qualidade de vida e esta última é resultado de um conjunto de fatores que não podem ser resolvidos isoladamente sob pena de seus esforços serem inúteis e ainda aumentarem o grau de estresse negativo.

Mudanças de comportamento só são consistentes com revisão de crenças e valores. E é justamente nisso que este programa trabalha, de forma leve e descontraída.
OBJETIVOS

Desenvolver o QE – Quociente Emocional – através de métodos, técnicas e sistemas integrados, vivenciais e holísticos que podem ser utilizados como ferramentas por profissionais de diversas áreas que atuem com grupos, promovendo a integração necessária para o sucesso da Organização pela força sinérgica do grupo;

Ensinar como administrar o estresse gerado pelas características típicas do nosso tempo e da organização tensionante do trabalho, patrocinando um melhor modo de ser e estar na empresa e na vida;

Oferecer estímulos para automotivação e motivação para a qualidade, através de atividades que prendem a atenção do participante e promovem mudanças positivas em seu comportamento;

Desenvolver o senso de equipe como força extra de atingimento de metas com melhores resultados tanto para a organização quanto para o funcionário;

Habilitar os participantes técnica e comportamentalmente a lidar com diferentes perfis psicológicos e estilos de pessoas.
PROGRAMA

Níveis Neurológicos: O entendimento que faz a diferença;

Princípios da automotivação e técnicas de redução do estresse que podem ser desenvolvidas dentro e fora do ambiente de trabalho;

Formação de times cooperativos (teamwork) ou o trabalho multidisciplinar como vantagem no controle e administração do estresse;

A natureza humana da qualidade e seu significado para o cliente;

Modernas técnicas de comunicação e relacionamento interpessoal no gerenciamento de conflitos interpessoais;

Aprendendo a lidar com opiniões, convicções e objeções diferentes sem estressar-se;

O desenvolvimento da criatividade e da flexibilidade como fatores diferenciais na qualidade de vida e de trabalho.

Inteligência Emocional nos Programas de Integração e Estresse

Inteligência Emocional nos Programas de Integração e Estresse

CONTEXTO

Best seller mundial, o livro “Emotional Inteligence” do Ph.D. em Psicologia e jornalista do The New York Times, Daniel Goleman, está revolucionando tudo que se acreditava saber sobre o que é ser inteligente, ter sucesso, maturidade e equilíbrio emocional.

As organizações do 3º milênio já estão reorganizando suas abordagens em seleção, avaliação, acompanhamento, treinamento e desenvolvimento de profissionais conforme as mais modernas descobertas e constatações científicas da área de humanas, notadamente as comportamentais e neurológicas.

Essas mudanças, na verdade, já vinham começando a ocorrer timidamente. Agora dispararam e vêm sendo cobradas dos profissionais das áreas de educação e treinamento na forma de revisão de posturas, atitudes, parâmetros de avaliação e, principalmente ferramentas utilizadas para alcançar resultados efetivos.
OBJETIVOS

Promover, ao mesmo tempo, integração entre os participantes, redução no nível de estresse (seja ele qual for) e trabalhar a formação estratégica de equipes;

Atualizar os participantes quanto às bases da Inteligência Emocional à nível teórico no que concerne tanto aos aspectos psicológicos quanto neurofisiológicos, em linguagem simples e acessível;

Desenvolver o QE – Quociente Emocional – através de métodos, técnicas e sistemas integrados, vivenciais e holísticos que podem ser utilizados como ferramentas por profissionais de diversas áreas que atuem com grupos;

Ensinar, reciclar e treinar os participantes, propiciando – simultaneamente – seu próprio crescimento pessoal e profissional.
PROGRAMA

Quantas e quais são as emoções autênticas;

A natureza da Inteligência Emocional;

Os 5 principais aspectos que determinam o QE e as técnicas e métodos para desenvolvê-los;

Como reconhecer e administrar emoções em si mesmo e nos outros;

A nova abordagem da cooperação como estratégia de desenvolvimento do QE;

Exercícios vivenciais para ampliação das percepções e recuperação da intuição em equilíbrio com a razão;

Exercícios de movimentos integrados através da Dança de Salão como técnica de integração e antiestresse.